O Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) anunciou um investimento de 360,2 milhões de meticais (aproximadamente 5,7 milhões de dólares) destinados a fortalecer os pequenos agricultores moçambicanos, proporcionando assistência técnica essencial devido aos desafios climáticos que têm impactado o sector agrário.

Este esforço será conduzido pelo Programa de Desenvolvimento da Cadeia de Valor Agro-alimentar Inclusiva (PROCAVA) e abrangerá as províncias de Maputo, Gaza, Inhambane e Niassa, situadas nas zonas sul e norte do País.

De acordo com directora da entidade, Jaana Keitaaranta, que é citada pela Rádio Moçambique, este financiamento se insere num plano mais vasto de resposta às crises provocadas pelas alterações climáticas e pelos custos crescentes dos materiais necessários à produção agrícola. A directora mencionou também que será feita a distribuição de insumos e sistemas de irrigação por aspersão operados por energia solar.

“Vamos prestar assistência às autoridades que gerem o sector da agricultura por forma que se minimizem os impactos negativos”, sublinhou.

No ano passado, o FIDA e o Governo moçambicano formalizaram dois acordos de subvenção no valor de 265,4 milhões de meticais (4,2 milhões de dólares), com o propósito de aumentar a resiliência das comunidades rurais, melhorando a segurança alimentar, a nutrição e elevando os rendimentos locais.

Sara Mbago-Bhunu, directora regional do FIDA para a África Oriental e Austral, destacou a importância da agricultura em Moçambique, apontando para o seu enorme potencial de crescimento devido à vasta extensão de terra arável e à riqueza agro-ecológica. “com a abordagem multidimensional do FIDA, estamos a promover de forma activa a produtividade e a diversificação das dietas, bem como o aumento do rendimento e do emprego”, afirmou.

Desde 1983, o FIDA tem investido mais de 386,47 milhões de dólares em quinze programas e projectos de desenvolvimento rural no território moçambicano.