O Fundo Global de Combate à SIDA, Tuberculose e Malária (o Fundo Global) anunciou um financiamento de 50,4 milhões de meticais (800 mil dólares) para Moçambique, destinado a custear uma campanha emergencial de administração massiva de medicamentos. Esta iniciativa visa atender às necessidades das pessoas deslocadas internamente que retornaram ao distrito de Palma, ainda afectadas pelas insurgências violentas em curso.

De acordo com a notícia do portal Further Africa, desde o início do conflito na província de Cabo Delgado em 2017, cerca de 48% das famílias sofreram deslocamentos repetidos, segundo a Organização Internacional para as Migrações. A maioria dos 121 mil habitantes da cidade de Palma já regressou, após a região ter sido assegurada pelas forças moçambicanas e seus aliados.

Os retornos ocorrem em áreas onde a capacidade do Governo de fornecer serviços sociais básicos foi gravemente prejudicada pela destruição da infraestrutura pública. Além disso, estas populações regressam a instalações de saúde recentemente reestabelecidas, onde o acesso fiável aos cuidados ainda é incerto. Dados recentes indicam que mais de 50% das unidades de saúde não estão a funcionar, e há uma escassez de brigadas móveis.

“Embora a situação em Cabo Delgado continue instável, esta medida de emergência temporária ajudará a reduzir o risco de mais mortes por malária enquanto a infra-estrutura primária de cuidados de saúde é restaurada e o Ministério da Saúde se prepara para a próxima campanha massiva de distribuição de redes mosquiteiras de longa duração (LLIN) ainda este ano”, afirmou Mark Edington, chefe de gestão de Subvenções do Fundo Global. “A campanha de administração massiva de medicamentos, a ser realizada entre Maio e Julho de 2024, pretende actuar como uma ponte na redução da transmissão da malária para esta população em risco em Palma, antecipando a próxima distribuição massiva de LLIN”.

De acordo com a informação, Moçambique enfrenta uma das mais elevadas taxas de VIH, TB e malária do mundo. Contudo, apesar deste ambiente operacional desafiador, o País tem alcançado progressos significativos contra estas três doenças, graças aos esforços dos defensores e trabalhadores comunitários de saúde.

Até à data, o Fundo Global já investiu mais de 189 mil milhões de meticais (3 mil milhões de dólares) em Moçambique, reforçando o combate a estas doenças e contribuindo para a melhoria da saúde pública no País.